A cerveja Stella Artois tem uma novidade para os cearenses: a chegada do Chopp Stella Artois. O lançamento acontece no dia 29 de abril, no Boteco Praia, e a previsão é de que chegue a outros pontos de venda da capital cearense ao longo de 2019.

Imagem: Instagram @stellaartois

Stella Artois é uma cerveja que carrega uma história de mais de 600 anos. É levemente amarga e traz em sua composição lúpulo especial vindo da República Tcheca e uma levedura exclusiva vinda da Bélgica, que só existe em sua fórmula.

Com o preceito que um sorvete é um gesto de carinho e simpatia, a Pardal é uma marca cearense de picolés e sorvetes que conquistou o Brasil. Conhecida pelos seus sabores autênticos e formato único, os produtos Pardal são referência no Nordeste e trazem na bagagem qualidade, tecnologia e receitas originais que cativam o público.

Quase três décadas depois, a empresa produz mais de 40 mil picolés e 8 mil litros de sorvete diariamente. Os produtos são os mais diversificados possíveis, tendo desde picolés – com sabores ao leite e à base de frutas – a potes de sorvete e sundaes.

Esta semana, tivemos o prazer de conhecer o Rosa Celeste, novo café, restaurante e lounge da cidade. Com um conceito “funcionamos o dia todo”, os sócios André Oliveira, Heron Jatay e Chef Marco Gil mostram um espaço que abre portas para pessoas que vêm casualmente da academia aproveitar um café, e também para reunir os amigos em um happy hour à noite.

Arquitetura e arte

O conceito arquitetônico do restaurante traduz modernidade e e se mistura com galeria de arte, com quadros do artista cearense Juca Máximo espalhados por todo o espaço, incluindo um painel de 4,5m que pega todo o pé direito duplo e vai do térreo ao piso superior.

“Só temos dois lugares para morar: nosso corpo e nosso planeta.”

Não é de hoje que assuntos relacionados à alimentação me sensibilizam. Mas, especialmente, ao longo do ano passado, o tema sustentabilidade me pegou com força. Deixar um pouco o consumismo, aproveitar melhor o que temos, ser menos acumuladora, estragar menos alimentos e tratar melhor o lixo foi o que tentei inserir na rotina para fazer algo pelo planeta e pelas pessoas menos providas.

Coincidentemente (ou não), fui convidada pela Caixa Cultural de Fortaleza – uma instituição que admiro bastante – a participar de um workshop de introdução à culinária vegana, o naVEGANdo. Era unir a fome com a vontade de comer (saudável, no caso). Por dois dias, larguei os compromissos e me juntei a 11 pessoas neste aprendizado. Qual foi a minha surpresa ao saber que houve 1.400 inscrições para este momento. E o universo me escolheu para estar ali. Nada é por acaso, né? E eu me dediquei a aproveitar.

Quem me acompanha no Instagram sabe que em dezembro de 2018 eu fiz um Workshop de iniciação à culinária vegana na Caixa Cultura de Fortaleza. O curso, chamado naVEGANdo, nos ensinou não só a fazer receitas veganas, como também nos conscientizou sobre a má distribuição dos alimentos em abundância, a falta de aproveitamento em sazonalidades e restos de comida, o sistema de compostagem e, ainda, sobre como podermos ter mais atitude em relação à alimentação com pequenas mudanças no nosso dia a dia. Contei sobre toda essa experiência neste post, que eu sugiro que você leia antes de pegar as receitinhas. E, aqui, compartilho algumas das receitas que aprendi por lá.

Molho Pesto Vegano
2 xícaras de chá de folhas de manjericão
1 dente de alho pequeno sem o miolo
1/2 xícara de chá de azeite extravirgem
1 colher de chá de sumo de limão
1/2 de xícara de chá de nozes ou castanha de caju
Sal a gosto e pimenta do reino a gosto

Preparo: lave os vegetais com água corrente e deixe-os de molho na água sanitária para higienizar. Seque em seguida. Depois, coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata até ficar homogêneo. Sirva com massas, torradinhas ou petiscos.

Posts Antigos »