Leitura | quarta-feira, 10 de outubro de 2018
5 dicas de leituras feministas para tempos modernos

Ando bem sumida do blog (#ohmeudeux) porque tem sido muito difícil conciliar trabalhos e tempo para escrever. Então, acabo preferindo esperar até poder fazer um conteúdo de excelência ao invés de apenas escrever qualquer coisa. E acredito que vocês, leitores, também preferem assim.

No cenário que estamos vivendo, tirei um mini tempo na agenda para falar de um assunto importantíssimo: a inspiração de várias mulheres que tentaram mudar – se não o mundo – o seu redor. E não são mulheres que fizeram um elogio ao próximo e, por isso, deixaram o dia de alguém mais feliz. São mulheres que lutaram contra a opressão masculina e foram além em suas conquistas. Apresento a vocês cinco livros para inspirar todas as meninas e mulheres.

Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes – Elena Favilli e Francesca Cavallo

Este que traz a história de diferentes mulheres incríveis e poderosas escrita e ilustrada de maneira lúdica. É uma inspiração para (adultos e) crianças e adolescentes. Uma curiosidade deste livro é que o projeto dele teve um dos maiores financiamentos coletivos já realizados no Kickstarter, com apoiadores de 70 países e cerca de US$ 1 milhão arrecadados. A leitura é leve, mas as histórias são emocionantes.

Para comprar: Amazon

O Segundo Sexo – Simone Beauvoir

Mudando totalmente de estilo, este livro, que já foi condenado pela igreja católica, analisa a opressão masculina ao longo da história, da literatura e dos mitos, mostrando como o masculino tornou-se uma norma positiva – ao passo de que ser mulher se tornou negativo. A obra é dividida em dois livros, sendo o primeiro com foco em fatos e mitos sobre as mulheres (biologicamente, fisicamente, antropologicamente etc), e o segundo questionando o fato das mulheres nascerem (e não se tornarem) femininas sem considerar seu contexto, tempo e cultura.

“Não se nasce mulher, torna-se mulher”.

Para comprar: Amazon

50 Brasileiras Incríveis para Conhecer Antes de Crescer – Débora Thomé

Outro livro que carrega histórias incríveis e ilustrações com o objetivo de tornar fácil a leitura por diversas faixas etárias, mas sempre enfatizando as conquistas femininas.

“Todas são mulheres que mudaram seu tempo e seu lugar. Que recusaram modelos impostos, seguiram criando e trabalhando e pagaram o preço dessa ousadia quando necessário. É preciso uma coragem gigantesca para sair do papel designado para você. A maioria tenta encontrar brechas para cumprir com o destino que sente ser o seu. O papel das mulheres, ao longo da história, sempre foi o doméstico, de ficar dentro de casa. É muito difícil romper com isso e ir para o mundo”, comentou em entrevista a autora.

Para comprar: Estante Virtual

O Mito da Beleza – Naomi Wolf

Segundo Naomi Wolf, a ditadura da beleza é uma parede que ainda provoca a desunião entre as mulheres. Com dados estatísticos, o livro analisa cinco áreas e suas relações com a beleza feminina: emprego, cultura, religião, sexualidade, distúrbios alimentares e cirurgia plástica. Além disso, mostra como é tratada a sexualidade da mulher e como as exigências de beleza travam a emancipação feminina.

Para comprar: Saraiva

O Conto da Aia – Margaret Atwood

Além de muito conhecido pela série da Netflix, o Conto da Aia foi escrito em 1985. Para contextualizar essa história tão complexa, eu peguei um trecho do HuffpostBrasil.com:

Imagine que, em um futuro próximo, o presidente e quase todos os congressistas do Brasil são assassinados por um grupo cristão fundamentalista. Em seguida, ele assume o poder, suspende a constituição e instaura uma ditadura militar. Agora o Brasil é uma teocracia. Os direitos das mulheres são retirados – e elas se tornam o centro desse novo sistema.

Elas são divididas entre férteis e inférteis. As que podem ter filhos – poucas, pois a degradação do meio-ambiente causou danos à fertilidade de quase todas as mulheres – são mantidas na casa dos comandantes do governo para, uma vez por mês, serem estupradas por eles. O objetivo imposto a elas é trazer novas vidas ao país, agora chamado de “Gilead”.

Eu, que ainda não li o livro (ainda!) e nem vi a série, me assusto com a “atualidade” do tema.

Para comprar: Saraiva

Você já leu algum desses livros? Me indica aqui ou nas redes sociais um livro que fale sobre mulheres inspiradoras e histórias feministas. Quem sabe assim a gente não muda (pelo menos o nosso) mundo.

Fotos: Google Imagens. Se você não deseja sua foto neste site, por favor, me mande uma mensagem.



Acompanhe o Boas Dicas também nas redes sociais: @blogboasdicas e fb.com/blogboasdicas!

---

Deixe seu comentário!




(*) campos obrigatórios.