Mulheres na Moda: Louise Chéruit

Mulheres na Moda: Louise Chéruit

Vamos falar sobre mulheres? E vamos falar sobre mulheres na moda? Hoje, a história é sobre Louise Chéruit, uma das primeiras mulheres considerada grande estilista no mundo. Sim, para quem não sabe, por muito tempo, as mulheres não tinham o privilégio de assumir importantes funções profissionais na sociedade. Elas só podiam ser esposas e mães. Mas em 1906, Louise consolidava seu ateliê em Paris, na Place Vendôme (hoje, Place Louis-le-Grand).

Imagem original: Pierre Brissaud

O estilo de Chéruit, que era filha de uma costureira, acompanhou a Belle Époque e foi até a Jazz Age. Seu ponto forte eram os cortes e estilo inovador, e essa moda atingia a classe aristocrata da época. Chéruit instigou a moda contemporânea, fez muitos vestidos ornamentados e, em tudo, colocava feminilidade. Ela também foi uma das precussoras do estilo Flapper, no qual as mulheres usavam saias mais “curtas” (na altura do joelho) e tinham atitudes consideradas ousadas, como usar bastante maquiagem, fumar e beber álcool em público e dirigir carros.

Salão principal do ateliê Chéruit em Paris, 1910. Foto de domínio público.

História de Chéruit

Chéruit começou sua vida na moda trabalhando para outros ateliês, ao lado de sua irmã, por volta de 1880. Ao casar, teve o apoio do marido para iniciar seu negócio com a família e outros designers de renome, mas em 1906, a fábrica possuía mais de 100 empregados e levava apenas o sobrenome da família.

Seu sucesso foi vasto em Paris, e ela foi citada por autores de sucesso, incluindo Marcel Proust. Sua moda era usada pela classe mais abastada de Paris e chegou a conquistar artistas do cinema, como a atris Jeanne Eagels, quando seu ponto forte eram tecidos luminosos e tendências artísticas como o cubismo, surgidas após a primeira guerra mundial.

Adolph de Meyer, photographer. Foto de domínio público.

Uma mulher “Louis XVI”

Vogue magazine descreveu Chéruit como “uma mulher do séc. XVI, porque ela tinha delicadeza e gostos extravagantes, um charme requintado e a arte das damas francesas que viveram a época da pré-revolução [francesa]”.

Produções de Chéruit

Na minha opinião, Chéruit foi uma mulher a frente do seu tempo, já estando a frente de uma casa de moda quando a sociedade era muito mais machista. Apesar disso, seu estilo traduz a vivência da sociedade, com a delicadeza feminina, muitos vestidos e traços de uma “dama parisiense”.

Imagens de Pierre Brissaud. Fotos de domínio público.
Vestidos de festas no jardim, publicados em La Gazette du Bon Ton, 1914
Imagens de Pierre Brissaud. Fotos de domínio público.

Precussora de Coco Chanel

Depois da guerra, a moda se voltou para produções mais simples e menos detalhistas. A praticidade era o ponto forte dos designers, dando espaço a grande nomes como Coco Chanel. Por essa mudança de estilo, os detalhismos e extravagâncias de Chéruit já não faziam mais tanto sentido, e ela se aposentou em 1923, mesmo tendo seu ateliê continuado por cerca de mais dez anos.

E, então, gostaram da história de Louise Chéruit? Acho importantíssimo saber quem foram as mulheres iniciantes nesse universo da moda – seja no estilo ou nos grandes investimentos. Além de entendermos as contextualidades que fizeram com que esse tipo de design fosse feito, trazendo inspirações para décadas futuras.

Se você gostou de saber mais sobre a história dessa mulher, comenta o que você achou dos vestidos e qual outra mulher você gostaria de ver neste quadro. Um beijo e até o próximo post.

Avatar
Jornalista por formação e publicitária por profissão. Gosto de músicas, coisas asiáticas, gastronomia, beleza e comportamento. Passo as horas de folga atualizando as inscrições do youtube ou cozinhando guloseimas.
Post criado 282

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo